Quais são os golpes virtuais mais comuns e como se proteger

Você já sofreu um golpe - ou uma tentativa de golpe - virtual? Não está só. Por dia, mais de 17 mil golpes financeiros são aplicados no Brasil. Só em 2021, já foram registradas mais de 1,6 milhão de tentativas. O golpe mais comum da lista é o bancário, vindo atrás da clonagem de Whatsapp, segundo levantamento do laboratório de cibersegurança da PSafe. De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), os golpistas usam engenharia social -métodos para manipular pessoas e obter dados pessoais, corporativos ou que comprometam sistemas de computadores e celulares. Com a pandemia e o crescimento de transações virtuais, os golpes também aumentaram. Golpistas atraem vítimas com supostas promoções, falsas vagas de emprego e falso cadastramento em programas de auxílio do governo. Golpes mais comuns "O golpe que mais cresceu em 2021 foi o da falsa central telefônica ou falso funcionário, cuja incidência foi 342% maior do que no primeiro bimestre de 2020", diz Walter de Faria, diretor adjunto de Serviços da Febraban. Os dados são dos dois primeiros meses do ano. O fraudador entra em contato com a vítima se passando por um falso funcionário do banco ou empresa com a qual o cliente tem um relacionamento. O criminoso informa que há irregularidades na conta ou que os dados cadastrados estão incorretos. A partir daí, solicita os dados pessoais e financeiros da vítima. Outra fraude muito comum durante a pandemia é o golpe do falso motoboy, diz a Febraban. O golpe começa com uma ligação ao cliente, de uma pessoa que se passa por funcionário de um banco dizendo que o cartão foi clonado, informando que é preciso bloqueá-lo. Para isso, diz o golpista, bastaria cortá-lo ao meio e pedir um novo pelo atendimento eletrônico. O falso funcionário pede que a senha seja digitada no telefone, e fala que, por segurança, um motoboy irá buscar o cartão para uma perícia. O que o cliente não sabe é que, com o cartão cortado ao meio, o chip permanece intacto, e é possível realizar diversas transações. Nenhum banco pede o cartão de volta ou envia qualquer pessoa para retirar o cartão na casa dos clientes.

Search